Blog

8 PASSOS PARA UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

nov , 23
8 PASSOS PARA UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Todos os dias, nós planejamos.

Se, de alguma forma, sua rotina funciona com horários e atividades fixos, você está planejando.

Por exemplo: você programa o relógio para despertar às 6h20, toma banho, seu café, sai para o trabalho ou escola/faculdade. Durante o dia, dedica-se a atividades extras – vai à academia, à aula de francês, resolve coisas pessoais. Ou seja, o tempo todo você está planejando.

Ou seja, planejar faz parte do nosso dia a dia. Para alguns mais, para outros menos, não importa: planejar é sempre preciso.

Se você é dono de uma empresa, a necessidade de se planejar é duas vezes maior: você deve se preocupar em ir além do aspecto pessoal e adotar um planejamento estratégico para seu negócio.

Planejar é a via que você percorre entre o objetivo e a ação. Durante esse percurso, você precisa passar e parar em alguns pontos, que te orientarão nos passos que dará.

Os líderes pensam no futuro somente durante 1/5 de seu tempo. Planejar ajuda a desenhar uma estratégia de sucesso para qualquer negócio.

Você deve estar se perguntando: como, então, começar o planejamento estratégico da minha empresa? No post de hoje, para ajudá-lo nessa tarefa, apresentamos 8 passos que você deve considerar ao elaborar seu plano.

1. CONHEÇA SUA EMPRESA A FUNDO

Você conhece sua empresa a fundo?

Essa pode ser uma pergunta um tanto quanto óbvia, mas, acredite, existem muitos donos que não conhecem o próprio negócio. Conhecer o funcionamento e a estrutura de sua organização ajuda seu negócio crescer. Para isso, tenha claro o propósito da sua companhia. Ou seja, tenha sempre em mente as respostas para estas perguntas:

  • Qual a missão da minha empresa?
  • Qual a visão da minha empresa?
  • Quais são os valores da minha empresa?

Esse tripé é definido como modelagem estratégica. Será ele que guiará você e sua empresa por todos os dias da história de existência do seu negócio.

2. ENTENDA O MACROAMBIENTE

Por vezes, as micro e pequenas empresas encontram dificuldade em se estabelecer no mercado. Isso porque não têm (ou acreditam não ter) acesso às informações necessárias para compreensão do segmento em que atuam.

A dica é fazer sempre uma avaliação dos pontos externos inerentes à dinâmica do seu negócio. Estude os aspectos macroambientais (aqueles de que você e sua empresa não têm controle). Avalie os fatores políticos, econômicos, culturais, demográficos, tecnológicos e legais. Afinal, são eles que te ajudarão a antecipar e ampliar os diferenciais do seu negócio.

3. ESTUDE O MERCADO

Reflita sobre esta pergunta: sua empresa conhece o mercado em que atua?

Compreender o mercado é ter consciência de que, a todo momento, as informações se desatualizam. Portanto, deve-se sempre acompanhar as tendências.

Tal acompanhamento se faz necessário porque oferece uma visão realista e condições para tomar decisões importantes e assertivas.

Nessa análise, é preciso considerar não apenas o cenário atual. Considere a evolução futura, antevendo aquilo que está por vir e/ou pode impactar o seu negócio.

4. FIQUE LIGADO NA CONCORRÊNCIA

Engana-se quem diz não ter concorrentes ou levanta a bandeira de ter um serviço ou produto exclusivo, impossível de ser imitado.

Sabemos que, cada vez mais, a diferenciação é um desafio para as empresas. Com o acesso ilimitado à informação e o papel das redes sociais, o consumidor está ficando cada vez mais exigente. Assim, é preciso ficar ligado no que o seu concorrente está fazendo.

Questione-se sempre e coloque as respostas no papel para as perguntas:

  • Quem são meus principais concorrentes?
  • Como meus concorrentes estão atuando no mercado?
  • O que estão oferecendo?
  • Quais são seus pontos fortes e fracos?

De que modo meus concorrentes trabalham seu preço, canais de vendas, produto e comunicação? O que ele oferece de melhor para o mesmo cliente?

  • Existem produtos/serviços substitutos aos meus?

Decerto, o empreendedor precisa analisar a concorrência não apenas para se apropriar daquilo que está sendo bem feito. Deve fazê-lo, também, para aproveitar as oportunidades que não estão sendo vistas por outros.

5. ACOMPANHE SEU PÚBLICO, O QUE BUSCA E DO QUE GOSTA

Se te perguntassem neste instante: quem é o seu cliente? Você saberia responder?

Curiosamente, essa resposta nem sempre está na ponta da língua dos empreendedores. Além disso, é muito mais complexa do que aparenta ser.

No post “CRM: o que é e como colocá-lo em prática”, publicado em nosso blog, falamos que o sucesso do seu negócio também está associado ao entendimento claro do perfil do seu cliente. Portanto, é necessário conhecer muito bem o seu público para saber como vender, personalizar e fidelizá-lo.

Algumas questões a serem feitas por você:

  • Quem são os meus clientes atuais e potenciais?
  • Por que compram meu produto ou consomem meu serviço?
  • Onde buscam e compram o meu produto?
  • Quando compram meu produto?
  • Eu seria um cliente de mim mesmo e da minha marca?
  • Como meu cliente se relaciona com minha marca?

Reúna todas essas informações em um repositório único. Assim, você terá subsídios para entender e definir seu público e acompanhá-lo em cada passo que ele der.

6. TENHA CONSCIÊNCIA DE AONDE VOCÊ QUER CHEGAR

Dificilmente, as empresas não têm um objetivo de aonde querem chegar. Eles podem até não estar claros, mas toda empresa quer crescer em vendas, conquistar novos clientes, aumentar o faturamento, ser referência no mercado e tantos outros.

Você precisa entender qual é o momento de sua empresa e definir seus objetivos e metas para os próximos anos.

Para isso, procure estabelecer metas que sejam específicas, alcançáveis e mensuráveis. Ao mesmo tempo, é importante estabelecer prioridades dentre elas. Por mais incontáveis que sejam, entenda o que é importante ou urgente para ser colocado em prática. Muito provavelmente, as metas não terão igual importância e urgência. Podem, portanto, ser agrupadas por ordem de prioridade e pensadas no horizonte de tempo a longo prazo.

7. EXECUTE AQUILO QUE PLANEJOU

Colocar o seu planejamento em prática é tão importante quanto desenhá-lo. Por meio de um plano de ação, as estratégias definidas e as ações pensadas devem ser colocadas em execução. Tal planejamento se norteará segundo os objetivos e metas que você traçou para seu negócio. Por isso, todo plano de ação deve considerar o conjunto das ações necessárias para que os objetivos se tornem realidade. O cronograma das ações, a divisão de tarefas e a definição de responsáveis devem ser montados pensando sempre em resultados de curto, médio e longo prazo.

8. MONITORE

De nada adiantará ter um bom planejamento e um plano de ação a longo prazo se não monitorar seus resultados. Definir indicadores de sucesso e estabelecer uma rotina de acompanhamento ajudarão na análise da efetividade das estratégias e ações propostas.

A mensuração de resultados deve ser feita por meio de uma documentação das ações para que possam ser analisadas futuramente. Havendo necessidade, você terá melhores condições para fazer “uma curva de manobra” durante seu caminho.

 

Agora que você já sabe como fazer um planejamento estratégico, que tal se PLANEJAR para fazer o seu e colocar em prática estas e outras dicas?

FALE CONOSCO PARA MAIORES DETALHES!