Blog

Business Model Canvas: o que é e como funciona?

nov , 6
Business Model Canvas: o que é e como funciona?

Quem é empreendedor e/ou trabalha com marketing, vendas ou modelo de negócios certamente já se deparou – ou ainda vai se deparar – com o Business Model Canvas.

A ideia inicial foi trazida à tona por Alex Osterwalder, em sua tese de Doutorado, em meados dos anos 2000. Ciente do resultado de um trabalho de muita pesquisa e estudos, Alex apresentou ao mundo o Business Model Canvas no livro Business Model Generation: Inovação em Modelos de Negócios. A aceitação foi imediata e fez grande sucesso, tanto que a ferramenta está se popularizando cada vez mais.

Mas, afinal, o que é o Business Model Canvas?

Primeiramente, vamos à definição. O Canvas é um modelo de estruturação de negócios eficiente, moderno e, inegavelmente, muito prático. A partir de um mapa bem visual e fácil de entender, ele dá o suporte necessário para relacionar todos os pontos básicos de uma nova empresa.

Podemos dizer, então, que o Business Model Canvas é um resumo das definições-chave de um projeto. Por isso, serve de bússola para as informações que o plano de negócios deve procurar validar ou mesmo reajustar no caminho.

Sendo assim, o objetivo do Canvas é, principalmente, fazer com que você tire suas ideias do papel. Com ele, você consegue planejar um negócio de sucesso de forma simples, podendo inclusive ter diversos insights durante o processo.

Isso ocorre porque o Canvas permite que tanto você quanto sua equipe visualizem o seu negócio de modo integral. Ademais, ao possibilitar que seus colaboradores também façam parte desse processo, contribui para que todos entendam o seu papel no negócio.

Como funciona o Canvas?

A proposta do Business Model Canvas é, sobretudo, trazer todos os pilares de análise da nova empresa de forma dinâmica. Para isso, consiste em um quadro descentralizado, que pode ser impresso e colado num mural ou mesmo na parede.

Esse quadro deve ser organizado em blocos, apresentando os nove fatores-chave de um empreendimento: parcerias-chave, atividades-chave, recursos-chave, proposta de valor, relacionamento, canais, segmentos de clientes, estrutura de custos e fontes de renda.

Vale salientar que é fundamental que esses nove campos do Business Model Canvas sejam preenchidos adequadamente pelo idealizador do projeto. Desse modo, ele garante que a análise e o planejamento do negócio sejam feitos com sucesso.

Além disso, o preenchimento desses campos deve respeitar uma ordem lógica. À direita, ficam os quadrantes do lado direito do cérebro, responsável pelo aspecto emocional. Em contrapartida, à esquerda, ficam os quadrantes do lado esquerdo do cérebro, responsável pelo aspecto racional.

Em seguida, vamos passar por cada um desses nove campos, a fim de entendermos, juntos, como isso se dá na prática:

SEGMENTOS DE CLIENTES

– para quem você vai vender? Antes de responder a esse questionamento, pergunte-se: Quem são os clientes que pretendo atender? Eles têm perfil específico? Como são agrupados? Onde estão localizados? Há uma necessidade comum entre eles?

Exemplos: motoristas que buscam complemento de renda, famílias de alta renda da região sudeste, adolescentes buscando preparar-se para o vestibular.

PROPOSTA DE VALOR

– o que você vai entregar? Para descobrir isso, levante outras possíveis perguntas, como: Qual o valor que eu entrego para o cliente? Que problema do cliente eu resolvo? O que tem de único no que ofereço?

Exemplos: performance, personalização, design, acessibilidade, economia, segurança.

CANAIS

– Em outras palavras, como você vai entregar? Com o intuito de responder a essa pergunta, questione-se: Por meio de quais canais meu cliente quer ser alcançado? Quais são meus canais de vendas? Quais os canais de entrega?

Exemplos: aplicativos, sites, buscadores, loja física, distribuidores, representante comercial, venda itinerante.

RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

– como você vai interagir com o seu cliente? Para isso, reflita: Que ações de relacionamento terei com o cliente? Quais os canais de comunicação?

Exemplos: secretaria/suporte, suporte automatizado, fóruns, redes sociais, eventos.

RECEITAS

– como você gera receitas? Essa pergunta deve estimular você a responder a outros questionamentos, a saber: Quanto meu cliente está disposto a pagar? Qual a minha estratégia de preço? Bem como, pelo que será cobrado?

Por exemplo: fee fixo, mensalidade, negociações variáveis, preço fixo unitário, preço premium/popular, recorrente/pontual.

ATIVIDADES PRINCIPAIS

– Que atividades sua empresa precisa realizar para entregar os valores ao cliente? Ao responder a essa pergunta, reflita: O que eu preciso fazer para o modelo funcionar?

Exemplos: primeira produção, manutenção da plataforma, segurança de informação, divulgação dos produtos.

RECURSOS-CHAVE

– De que recursos você precisa para o modelo funcionar?

Exemplos: equipe de atendimento, plataforma, linha de produção, loja física, sistema de entrega, registro de marca, empréstimo.

PARCERIAS-CHAVE

– De que fornecedores e parceiros você precisa para o modelo funcionar?

Exemplos: prefeitura, shoppings, empresas de TI, fornecedores de matéria-prima, hotéis, comerciantes locais, digital influencers.

CUSTOS

– Quais são os custos para você manter essa estrutura? Ao buscar compreender isso, pense: Quais os principais custos envolvidos na operação do modelo? Ele será movido a baixo ou alto valor?

Exemplos: luz, água, aluguel, folha de pagamento, geradores, transporte de carga, suporte técnico.

Enfim, como você pôde perceber, o Business Model Canvas ajuda o empreendedor a ter uma visualização ampla do negócio. E o melhor: faz isso de maneira especialmente simples, rápida e interativa. Portanto, vale a pena utilizá-lo!

Na Formiga Marketing, por exemplo, o Canvas é bastante popular entre os empreendedores que buscam conquistar os melhores resultados e ter uma visão plena do empreendimento na hora de abrir o próprio negócio. Aliás, aqui, chamamos essa ferramenta carinhosamente de Formiga Marketing Modela e garantimos: ela tem inúmeros benefícios. Confira no nosso site!