Blog

Como implementar um plano estratégico?

dez , 17
Como implementar um plano estratégico?

Em um mundo conectado e em constante transformação, nunca foi tão difícil empreender. Os clientes, os concorrentes e os mercados têm mudado muito. E, como se isso não bastasse, essas mudanças têm ocorrido, na maioria das vezes, de forma mais acelerada em relação às empresas.

É exatamente por esse motivo que ser estratégico, hoje, é uma característica vital à sobrevivência dos negócios. Quando se trata dos pequenos, então, essa necessidade torna-se ainda mais acentuada. Sendo assim, no post de hoje, veremos como fazer e implementar um plano estratégico.

O que é um planejamento estratégico?

Em uma empresa, o planejamento estratégico é um conjunto de processos sistematizados que envolvem não apenas a avaliação mercadológica e o estabelecimento de objetivos e de metas. Eles envolvem, também, a determinação dos recursos e das atividades necessárias para que a empresa atinja o que almeja. O mais interessante é que tais objetivos são definidos a partir da avaliação do mercado. Ou seja, assim como no xadrez, é preciso planejar jogadas inteligentes, com base no contexto e nas qualidades do jogador em questão.

O planejamento estratégico é feito para que se desenvolva vantagem competitiva a longo prazo. Isso se dá, obviamente, por meio de uma estratégia competitiva, de modo que a organização conquiste um posicionamento diferenciado em relação ao que existe no mercado. Assim, mesmo que concorrentes diretos ou indiretos se tornem uma ameaça, essa estratégia poderá minimizá-la.

Como fazer um planejamento estratégico?

Aqui no blog da Formiga Marketing, já falamos muito sobre o que você deve fazer para desenvolver um plano estratégico. Resumidamente, em primeiro lugar, realize uma análise clínica e contínua do mercado (clientes, concorrentes e tendências). Em seguida, estabeleça um diagnóstico das suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Por fim, trace seu posicionamento de forma inteligente. Em outras palavras, descreva seus objetivos, suas metas e tudo mais que será necessário fazer e investir para chegar lá.

Esse plano pode ser feito por você, empreendedor, caso sinta-se capacitado e tenha tempo disponível para estudar e planejar. Por outro lado, o mais indicado é que ele seja feito por um profissional ou empresa especialista em planejamento estratégico. O know-how especializado ajuda, sobretudo, numa avaliação mais neutra e assertiva do seu negócio e do mercado, afinal, todo mundo tem um ponto cego. Isto é, mesmo sendo o dono (e justamente por isso), há características que você, infelizmente, não percebe. Por sua vez, a consultoria de planejamento estratégico é expert em apontar esse tipo de coisa.

Como implementar um plano estratégico?

Veja, não basta você desenvolver um plano lindo, diferenciado, cheio de ideias criativas e viável para seus recursos. Agora, vem o ponto de virada mais desafiador: colocar o planejamento em prática. Nesse momento, sim, você poderá perceber suas qualidades como empreendedor, pois implementar projetos lhe tirarão da zona de conforto a todo instante.

Seja um gestor

Mais do que cumprir uma lista de atividades e seguir, literalmente, o plano à risca, você deve administrar seus recursos de forma inteligente, sejam eles seu tempo, equipe ou dinheiro. Apenas na prática você terá a experiência necessária para entender os ajustes que precisarão ser feitos nessas frentes a fim de atingir seus objetivos.

Confiança

Aquela história de que você irá ouvir muitos “nãos” na vida é a mais pura verdade. Empreender não serve para quem busca popularidade e agradar a todos. Você deve ser o maior advogado de suas próprias ideias e sonhos, principalmente porque muitos obstáculos poderão desestabilizar seu planejamento. A dica, portanto, é: ajuste a rota operacional, tenha jogo de cintura, mas, especialmente, mantenha-se fiel à sua estratégia.

Por exemplo: o propósito de determinada marca é fazer pessoas felizes por meio dos itens de papelaria que ela vende na frente de colégios. A frente operacional é a loja itinerante nas escolas, que, entretanto, ficou inviável com o fechamento delas na pandemia. Isso significa, então, que é essencial revisitar o propósito e entender que é possível fazer pessoas felizes por outros canais de venda, como meio on-line, venda porta a porta, etc.

Análise e acompanhamento

O que não se mede, inegavelmente, não pode ser gerido. Somente com o acompanhamento de indicadores de sucesso você terá o termômetro de que sua empresa está no caminho certo. Além do mais, caso sua empresa não esteja performando como gostaria, os dados poderão ajudá-lo a diagnosticar em que etapa está o problema para adequar a rota do seu plano estratégico.

Execução disciplinada

Certa vez, ouvi que, para empreender, é preciso ter um plano criativo e uma execução militar. Ser seu próprio chefe tem seus ônus e bônus. É claro que, às vezes, pode ser exaustivo. Mas também é realizador o fato de que você pode, simplesmente, fazer suas atividades, visto que tem a confiança de que colherá frutos lá na frente.

No entanto, para que isso ocorra, você tem de fazer tudo no tempo certo, do jeito certo. Não deixe para depois, até porque ninguém vai te cobrar, a não ser você mesmo. Logo, tenha foco e disciplina. Busque não problematizar pequenos percalços rotineiros e, acima de tudo, nunca se esqueça do seu objetivo a longo prazo. Se você, como dono, não o fizer, ninguém vai fazer. E mais: se você não está focado no futuro do seu próprio negócio, quem garante que ele existirá?